Problemas em Relacionamentos Bidirecionais

Relacionamento Bidirecional

Essa literatura oferece a base sobre a qual desenvolvemos nossa hipótese principal. Se as pessoas vêem uma correlação entre sentimentos subjetivos e distância psicológica (Vallacher e Wegner 1987 ; Van Boven et al. 2010 ), elas podem usar a distância psicológica para inferir um sentimento de dificuldade.

Ou seja, aumentar a distância psicológica de uma tarefa complexa pode reduzir a sensação de dificuldade. Essa suposição de inferência reversa é consistente com os achados na área geral de estratégia inferencial bidirecional (Kahneman e Frederick 2002 ; Wyer e Srull 1989 ). Por exemplo, Wyer e Srull ( 1989, 281) postulam que “os sujeitos que inferem que uma condição de estímulo implica outra (que X implica Y) também acreditarão que a segunda implica a primeira (que Y implica X) e, portanto, inferirão X da existência de Y.”

Com base nessa premissa, propomos que quando uma tarefa é construída de uma perspectiva distante, a mente infere espontaneamente que a tarefa é menos difícil. Por outro lado, quando uma tarefa é interpretada de uma perspectiva proximal, a mente infere que a tarefa é mais difícil.

Pesquisa de Ayduk e Kross ( 2008 ) e Kross et al. ( 2005 ) oferece suporte preliminar para nossa proposição, embora esta linha de pesquisa não tenha examinado o sentimento de dificuldade.

Kross et al. ( 2005 ) demonstrou que instruir explicitamente os participantes a adotar uma perspectiva distanciada (por exemplo, “dê alguns passos para trás e afaste-se de sua experiência … observe o conflito se desdobrar como se estivesse acontecendo tudo de novo com você distante”; Kross et al. 2005 ) reduziu os sentimentos negativos associados a experiências anteriores. Da mesma forma, Ayduk e Kross ( 2008) mostraram que a mesma manipulação da perspectiva distanciada afetou a pressão arterial.

Eles descobriram que a reatividade da pressão arterial era mínima quando os participantes adotaram uma perspectiva distanciada ao analisar suas emoções.

Com base nesses resultados, hipotetizamos que distanciar psicologicamente uma pessoa de uma tarefa atenuará a sensação de dificuldade decorrente da complexidade da tarefa. A seguir, consideramos como as pessoas podem se distanciar psicologicamente das tarefas. Consideramos dois antecedentes da distância psicológica – mentalidade abstrata e distância corporal.

Antecedentes da distância psicológica
Foi demonstrado que a construção abstrata pode aumentar a distância psicológica.

Por exemplo, Fujita at al. ( 2006 ) mostraram que quando as pessoas são preparadas para pensar em categorias abstratas de objetos (por exemplo, “bebida” como uma representação mais abstrata de “refrigerante”), elas são mais propensas a se concentrar em objetivos distantes.

Por outro lado, quando as pessoas são preparadas para considerar exemplares concretos dos mesmos objetos (por exemplo, “Coca” como um exemplo de “refrigerante”), elas se concentram no objetivo imediato.

Na mesma linha, pensar sobre uma tarefa abstratamente (por exemplo, fazer uma lista é se organizar) pode levar ao auto distanciamento da tarefa, e pensar sobre a mesma tarefa concretamente (por exemplo, fazer uma lista é anotar coisas) pode aumentar proximidade psicológica com a tarefa (Trope e Liberman 2010) Essa corrente da literatura postula que a ativação de uma mentalidade abstrata aumentará a distância psicológica da tarefa.

DISTANCIA CORPORAL
Com base na literatura emergente sobre cognição incorporada (Barsalou 2010 ; Niedenthal 2007 ), identificamos um antecedente novo e mais direto da psicologia comportamental: a distância corporal de uma tarefa.

A literatura sobre cognição incorporada mostrou que processos cognitivos de alto nível, como pensamento e julgamento, são influenciados por sistemas sensoriais, motores e afetivos (Barsalou 2010 ; Niedenthal 2007) Com base nessa literatura, propomos que alterar a distância corporal do alvo de julgamento inclinando-se para frente ou para trás na tarefa também alterará a distância psicológica da tarefa.

Em particular, hipotetizamos que se afastar fisicamente do alvo de julgamento aumentará a distância psicológica dele e reduzirá a sensação de dificuldade. A discussão anterior nos leva às seguintes duas hipóteses formais:

Ativar uma mentalidade abstrata aumentará a distância psicológica e reduzirá a sensação de dificuldade que os consumidores experimentam ao realizar tarefas complexas subsequentes e não relacionadas

Assumir uma postura corporal que aumenta a distância corporal das tarefas de julgamento aumentará a distância psicológica e terá o mesmo efeito na dificuldade da tarefa, conforme descrito na hipótese.